Depois de ver muitos comentários na televisão sobre esse filme e de ter assistido ao trailler, resolvi me render e assistir Os dois filhos de Francisco. Com um orçamento de R$ 8 milhões, eu sinceramente não estava apostando muitas fichas no filme. Primeiro porque não sou fã da dupla e depois achei que o filme era musical, dando maior ênfase a carreira da dupla. E para finalizar, não existe filme bom com gente famosa (vide vide filmes da Xuxa, Padre Marcelo, Didi e Eliana Dedinhos). Como não gosto de ler sinopse de filmes, os motivos ficaram por aí. Não sabia eu, que estava perdendo um bom filme devido a gratuita (e explicável) discriminação.

 

Para começar, o filme não é feito somente para fãs. E acreditem. É MUITO bom. Existem muitos momentos que você rí, que fica emocionado e que você poderá chorar. Digo isso porque apesar de não ter chorado, eu fiquei arrepiado em alguns momentos (minha namorada chorou). Talvez por saber que aquilo realmente aconteceu. É interessante ver tamanha determinação do pai, em querer que os filhos fossem alguém na vida.

 

É bom eu não falar muita coisa. Apenas acreditem. O filme é bom. Recomendo a todos. Chamo atenção apenas para o merchandisings excessivo e gratuito. No momento em que Zezé está em São Paulo era início da década de 90. Atrás dele aparece a logomarca do Bradesco. Detalhe: Essa logomarca foi criada em 1997, portanto, não deveria estar alí.

 

Curiosidade: A produção do filme teve sérias dificuldades em encontrar um ator mirim para representar Zezé quando pequeno. Também pudera… O garoto deveria parecer com o cantor e além disso deveria saber tocar sanfona e cantar. Mais de 400 crianças foram avaliadas.

 

[]’s

 

Postado via desktop.