Dessa vez as palavras não são minhas.
São palavras de Lima Duarte em uma entrevista concedida ao jornal Folha de São Paulo. Eu adorei a entrevista, que mostra exatamente tudo aquilo que pensamos e sabemos sobre a Rede Globo. De tempos em tempos encontro relíquias como essa na internet. E faço questão de salvar tudo em meu computador.
Para vocês entenderem o nível, na hora que a assessora da Globo chegou para acompanhar a entrevista ele disse: "Você veio saber o que vou dizer, né?"

Vejam abaixo as partes que mais gostei:

"FANTÁSTICO"
Desculpem falar muito, mas depois vocês editam. Não como o "Fantástico", hein! Dou entrevista a eles, e nos tornam imbecis. É como Silvio Santos, o grande químico do Brasil: transformava o domingo em merda. O "Fantástico" transforma qualquer opinião em merda, a edição é calamitosa. A da Globo de modo geral.

ÚLTIMA NOVELA
Não quero mais fazer novela. Pretendia que "Belíssima" fosse a última. Mas já queria que a anterior fosse a última, e vieram com artilharia pesada, Irene Ravache, Fernanda Montenegro. Mas é duro fazer novela. Está cada vez mais cansativo. Estão escrevendo a mesma história há 40 anos. Faço o mesmo personagem, e o público chora a mesma lágrima, no mesmo horário. Mas o povo não deixa mudar. O povo não aceitou "Bang Bang". Colocaram a moça [Fernanda Lima], disseram que era bonita. Mas a vestiram demais. Aí teve de ser atriz e ficou ruim para ela. Se a novela vai mal, a primeira coisa é tirar a roupa da mocinha. A segunda é "Quem matou?".

GLOBO X RECORD
Trabalho há 35 anos na Globo. Fui convidado a ir para a Record, olha que importante sou. Fui convidado a ir para a Igreja Universal. Logo no começo da conversa, falaram: "Dinheiro não é problema". E respondi: "Para mim também não". Ganho muito bem, tenho contrato longo, acho que até o fim da minha vida, mais cinco anos.

PODER DO PAI
Sou de Desemboque, Minas. Meu pai teve o primeiro aparelho de rádio da minha terra. Sabia de algo que Silvio Santos, esse da Igreja Universal e Roberto Marinho descobririam depois: quem detém a informação detém o poder. Botava o rádio baixinho, não deixava ninguém ouvir. O povo ficava na janela assistindo ao meu pai ouvir rádio. Ele lavava as mãos para ligar o rádio e punha o paletó. Ele me ensinou a ser respeitoso com essa coisa da informação.

GUIMARÃES E BRUNA LOMBARDI
Sou leitor compulsivo de "O Grande Sertão: Veredas". Aquela adaptação da Globo [86] não podia dar certo. Pôr a Bruna Lombardi para fazer jagunço! O que é isso!? Uai, com aqueles olhos? Quis fazer a adaptação há muito tempo, com a Regina Casé. Ela é interessante como mulher e muito feia como homem.

Ainda acredito que durante a minha vida, assistirei a queda do Império da Rede Globo. Pela expectativa de vida de um brasileiro, terei algo em torno de mais 40 anos para assistir esse acontecimento.

 

Para saber mais:

Clique aqui e leia a entrevista toda.

PS: Escrevi a palavra MERDA no título. Mas fui surpreendido pela censura do SPACES que não me deixou salvar o post sem antes editar a palavra. Não acreditei… 

 

[ ]´s